CUOTIDIANO

domingo, janeiro 07, 2007

Apaixonei-me - apenas isso

Enquanto falava contigo, apaixonei-me pelas palavras que te ia dando – o problema é que, na confusão, apaixonei-me por ti. Depois pensei: se nos encontrarmos mesmo, as palavras não chegarão, infelizmente – é que depois sobro eu, que não chegarei, tenho a certeza.

Então e de repente, fiquei sem palavras - sobraram os desejos, os sons.

Sabes? - enquanto falava contigo apaixonei-me. Apenas isso.
Apenas isso.

8 Commenários:

  • Ao ler-te chorei...apenas isso... Apenas isso!

    By Blogger Ana Luar, at 7 de janeiro de 2007 às 15:19  

  • "O problema é que, na confusão, apaixonei-me por ti" - o amor é confuso.
    "Enquanto falava contigo apaixonei-me. Apenas isso" - o amor é simples.
    É confusamente simples.
    Simplesmente confuso.

    Lindo!

    By Blogger APC, at 8 de janeiro de 2007 às 18:22  

  • SB,
    Como sempre, a minha amigapoema já disse tudo.
    É tudo apenas claro e escuro, doce e amargo, longe e perto, confuso e simples.....o amor é isso...e mais um pouco.

    By Blogger Leticia Gabian, at 8 de janeiro de 2007 às 20:51  

  • Ora não querem lá ver que o meu amigo Cuotidiano está mesmo apaixonado?! E, caso seja verdade, não é lindo?! Nada como uma boa paixão para nós arremessarmos bolas de vida às coisas más, e sentirmos a felicidade imensa que é a partilha...

    PS. Posso saber quem é a felizarda, a Miss Cuotidiana?

    Um abraço e não te esqueças de me convidar para o casório, qd houver...[Juro que fico quietinho ao pé da pirâmide das gambas e só mexo as mãos e a boca...]

    Nunca se sabe se não darei jeito para ler em voz alta - com esta minha voz jazz-bass, tipo «António Sala», - a última versão hip hop da epístola aos Corintíos.

    Abraço. Gosto de ver um homem fugir aos seus «cuotidianos» e assumir que tem flancos, que sente, e se apaixona...

    El Madrigal, que só te quer ver longe do mal...

    By Anonymous madrigal, at 8 de janeiro de 2007 às 21:04  

  • Impressionadamente, finalmente alguém escreveu o que eu gostaria de ter escrito! E com um pormenor excepcional: mesmo que conseguisse, nunca iria ser assim tão simples, genial.

    Apenas isso.

    By Anonymous Anónimo, at 9 de janeiro de 2007 às 22:40  

  • :)

    eu ia mesmo jurar que o tal texto andava por aqui....

    (sonhei?)

    By Anonymous Anónimo, at 22 de janeiro de 2007 às 01:53  

  • O melhor dos comentários anónimos é que resistem a atques estalinistas por parte dos seus autores... lol

    Antes que te chateies comigo e resolvas fazer uma limpeza das parvoíces que digo, reparo que sou a única que ainda não teceu um elogio ao texto

    - está bonito
    - está simples
    - está de comer e chorar por mais
    - escreves mesmo bem


    o que mais me irrita é quando dizem que o amor é simples.
    O amor não é simples, é a coisa mais complicada, confusa e idiota que já inventaram, tanto mais porque há maneiras bem mais simples de combater a solidão...

    se entretanto eu me lembrar de alguma... aviso-te.

    beijos

    (e quando dizem que o amor é lindo?!?! aposto que te dá a mesma vontade que a mim...)

    By Anonymous Anónimo, at 22 de janeiro de 2007 às 01:57  

  • às vezes acontece. e é tão bom ;)

    By Blogger AutumnSky, at 19 de março de 2009 às 22:35  

Enviar um comentário

<< Home