CUOTIDIANO

terça-feira, outubro 03, 2006

Só para rir (I)

Depois da anunciada diminuição, para este ano, de 140 milhões de euros nas transferências para a Madeira, Alberto João Jardim promete retaliar!

4 Commenários:

  • Caro cuotidiano.

    O A.J.Garden é o modelo acabado de um ditador sul-americano em fim de estação: decadente, barrigudo, boçal, fumando cigarrilhas entre as pausas dos arrotos e das flatulências gigantescas; enfim, um specimen que deveria ser extirpado, gaseado, empalado com um troco de bananeira pelo recto acima até que lhe saíssem os cachos pela boca.

    É uma vergonha para um país da UE, uma democracia de cariz ocidental, que almeja pertencer à familia de modelos societários avant garde, que pretendem ser inspiração para sociedades «menos civilizadas», possuir no seio dos seus governantes um enfant terrible tão grotesco.

    Comparo-o, na politíca, aos mastodontes que temos no futebol, embora seja incomensuravelmente mais perigoso porque detém algo que lhe deveria ser retirado: o poder de condicionar a vida alheia, aliado à impunidade garantida pelo seu status constitucional.

    Só o facto dessa aberração ganhar, consecutivamente, eleições desde 1975, faz com que o PSD o ature e assobie para o ar sempre que esse flatulente corre com os chineses do arquipélago (que é dele!) embaraça-nos perante o mundo; chama-nos cubanos e ofende a classe jornalistica, os restantes orgãos de soberania e, de um modo geral, toda a gente que reside no continente.

    Proponho a contratação dum matador brasileiro, ou colombiano - habituados a «matar barato» - para pôr cobro ao infâme percurso da besta. Aliás, queria mesmo lançar o repto de fazermos um peditório para esse fim. Qum sabe um bandolero não faria o trabalho sujo por um punhado de dolares?!

    Abomino esse figurante!

    J.R.

    By Anonymous madrigal, at 3 de outubro de 2006 às 14:16  

  • Se a Madeira é um Jardim...
    E deixar de ser "regado"...
    as putas das Flores morrem!!!

    com diz o velho ditado:

    Um Jardim sem Flores...

    Enfim voltamos sempre à pescadinha de rabo na boca...

    By Anonymous In sonias, at 3 de outubro de 2006 às 23:13  

  • Lisboa vive à custa do resto do País.
    Essa água é de todos (uma parte também da Madeira).
    Não é de Lisboa que a corta a seu belo prazer.
    Pois...
    Têm que pagar a dívida do Metro de Lisboa (3.100.000.000 Euros), da Carris e da REFER...
    À custa do resto do País.

    "Cria-se a ideia de que eles (Autarquias e Madeira) são despesistas e cortam-se os dinheiros (que são deles). E assim, podemos gasta-lo nós..."

    Dirá quem manda...

    By Anonymous Anónimo, at 11 de outubro de 2006 às 10:00  

  • Caro amigo: A resposta ao seu comentário é dada no "post" de 14 de Outubro.

    Cumprimentos

    By Blogger cuotidiano, at 14 de outubro de 2006 às 18:30  

Enviar um comentário

<< Home